Cornea

A córnea é, à semelhança do vidro sobre o relógio, a parte transparente do olho que está na frente da íris (cor do olho). Assim sendo, quando alguma doença compromete a transparência da córnea deixando-a como um vidro fosco, a solução é cirúrgica.

Como se adquire?

Existem várias causas que podem fazer com que uma córnea deixe de ser transparente:

  • Congênita (rara);
  • Traumatismo;
  • Queimaduras químicas;
  • Infecções;
  • Distrofias (em geral entre 20 e 50 anos de idade);
  • Degenerações (nas pessoas mais velhas).

Como se trata?

O tipo de tratamento depende do quão profunda é a alteração que está causando a perda de transparência da córnea.

Quando o problema afeta a córnea mais profundamente, o transplante de córnea pode ser necessário. Diferentemente dos transplantes de rim e coração, a rejeição aqui é menos comum e menos grave.

Ocorrendo em 10 a 15% dos casos, a rejeição costuma responder bem ao tratamento medicamentoso.

Quando não há resposta ao tratamento, que é uma situação que ocorre ao redor de 1% dos casos, outro transplante de córnea poderá ser feito.

O prognóstico de recuperação da visão, nos transplantes, depende da causa que gerou a cirurgia.

O objetivo das doações de olhos é fornecer córneas para transplantes. Somente a parte central da córnea doada é usada. O diâmetro dessa parte a ser usada é semelhante ao que será removido do paciente com lesão de córnea. Havendo consentimento da família a remoção dos olhos deve ser feita dentro de seis horas após a morte (o mais cedo possível).